ÁCIDO ÚRICO (potencial causador de alguns problemas de saúde)

4 minutos para ler

O ácido úrico é um composto presente no organismo, por ele produzido pelo metabolismo de algumas substâncias do próprio corpo ou a partir de componentes dos alimentos. Essas substâncias pertencem a um grupo químico denominado purinas.

Ele não é um tóxico, mas algo que deve ser eliminado, já que não tem função (é apenas o produto final do metabolismo das purinas). Essa eliminação se dá principalmente pela urina, assim como ocorre com várias outras substâncias do corpo que não têm finalidades.

Mas o ácido úrico pode ser causa de diversos problemas, quando se acumula no ser humano sem que seja satisfatoriamente eliminado. O mais conhecido desses incômodos é a precipitação nas articulações, sob a forma de urato monossódico, causando dor e inflamação (podem surgir também concentrações de ácido úrico na forma de urato monossódico em tecidos, por vezes por baixo da pele). Também os rins podem sofrer problemas causados por ele, agravando doença renal pré-existente. Cálculos urinários com ácido úrico na composição podem causar cólicas de grande intensidade, ao transitarem rumo à bexiga.

A elevação do ácido úrico no sangue ocorre diferentemente entre as pessoas, podendo haver predisposição individual, além da ação de outros fatores como o sexo, a idade, os hábitos de vida e os medicamentos em uso.

Há mitos em relação ao ácido úrico, como os há em relação a muitos outros constituintes do organismo. Há quem diga que o descamamento nos pés é devido ao ácido úrico, enquanto outros creditam a ele o escurecimento da pele em contato com metais de bijuterias. 

Gota é o nome de uma doença, a mais típica complicação associada ao ácido úrico no organismo. Ele se precipita, sob a forma de cristais de urato monossódico, nas articulações (imagine que além do fluido lubrificante que elas contêm, também ali houvesse areia: é uma comparação aproximada com o que ocorre). Também podem se formar depósitos de cristais sob a pele, que são chamados tofos. A crise de gota se inicia mais comumente com dor na articulação do primeiro artelho ou dedão do pé, dor que é tão intensa a ponto de se evitar até mesmo o roçar do lençol ou das roupas.

Cálculos urinários são as “pedras” formadas nos rins e que costumam doer muito quando se movem rumo à bexiga. A maior parte dos cálculos urinários é constituída por outro componente, o oxalato de cálcio, porém não é rara a ocorrência daqueles cuja composição se deve ao ácido úrico (podem ser formados cálculos mistos, ou seja, com mais de um componente).

Nefropatia úrica é a precipitação do ácido úrico nos rins, o que pode ocorrer nos túbulos em que a urina é formada, ou na região denominada interstício, onde não há propriamente urina. A função filtrante dos rins torna-se prejudicada.

Os seguintes alimentos – vários deles considerados saudáveis quanto a outros aspectos – têm componentes com potencial de elevar o ácido úrico (purinas em grande quantidade):

•Carnes vermelhas, miúdos e embutidos

•Aves, como frango, pato e peru.

•Frutos do mar, como camarão, mexilhão, polvo, lula, e, sobretudo, sardinhas e anchovas.

Diversos vegetais também contêm purinas em quantidade considerável, mas não como no grupo acima. Eis alguns: nozes, amendoim, castanhas, avelãs, pistaches, aveia, ervilhas e feijão. Cogumelos também contêm purinas, bem como suas “parentes”, as leveduras (o que explica o maior risco de crises de gota em consumidores de cerveja em relação a outras bebidas alcoólicas).

O leite e seus derivados, como queijos e iogurtes, têm baixo teor de purinas, sendo boas fontes de proteínas e de outros nutrientes sem causar preocupações quanto ao ácido úrico.

Mas não se esqueça da água, importante para que os rins eliminem diversas substâncias a serem excretadas, inclusive o ácido úrico. E não deixe de consultar periodicamente um médico, pois se ele constatar, ao conversar com você e lhe examinar, que é importante verificar seu nível sanguíneo de ácido úrico, ele solicitará esse exame, que é muito simples, rápido e barato.

Obtenha gratuitamente um e-book sobre o ácido úrico clicando aqui.

Posts relacionados

Deixe um comentário