O que são os alimentos alcalinos e quais os seus maiores benefícios?

4 minutos para ler

A clássica frase “você é o que você come” cada dia faz mais sentido. Afinal, os alimentos consumidos influenciam diretamente na saúde do corpo. Por isso, se você busca uma vida mais saudável, não deixe de conhecer a dieta alcalina.

Ela está diretamente associada ao pH do corpo. Lembre-se que o pH abaixo de 7 é caracterizado como ácido e, acima disso, é básico (ou alcalino). Assim, ao ajudar a manter o pH alcalino, diversos problemas causados pela acidez podem ser combatidos.

Vale ressaltar que existem algumas controvérsias sobre o embasamento da dieta em questão. Porém, uma coisa é fato: ela não oferece riscos ou malefícios. Sendo assim, que tal aprender a colocá-la em prática?

Veja quais são os alimentos alcalinos

Antes de tudo, você precisa saber que diversas reações metabólicas acontecem no nosso organismo. Elas são muito importantes para a regulação do corpo e liberam uma série de fatores e substâncias.

Para que tudo se mantenha estável, nosso organismo tenta neutralizar a acidez das reações. Exemplo disso é evitar o acúmulo dos famosos radicais livres. Além disso, a acidez também pode reduzir a liberação do hormônio da saciedade.

Já é possível imaginar o problema que isso pode causar, não é mesmo? Portanto, a dieta alcalina vai auxiliar na manutenção do pH básico. Ela atua como uma dieta vegetariana, porém não restringe a alimentação de carnes.

Descubra os benefícios de uma dieta alcalina

O primeiro benefício você já sabe: a dieta alcalina não é restritiva a nenhum grupo alimentar. Por isso, chama muito a atenção de quem deseja dar o primeiro passo na mudança de hábitos.

Como engloba uma série de legumes, frutas e verduras, diminui o ganho calórico nocivo. Sendo assim, está associada indiretamente ao emagrecimento.

Outro ponto importante é que reduz o estado inflamatório do corpo. Para se ter uma ideia, o excesso de peso aumenta este fator. Portanto, a dieta alcalina reduz o risco das complicações associadas à obesidade.

Mas não é só isso! Veja alguns outros benefícios:

  • leva à menor retenção de líquidos, combatendo assim o inchaço;
  • potencializa a absorção de nutrientes;
  • melhora a circulação do corpo.

Saiba como implementar no dia a dia

Chega de conversa, vamos ao cardápio! Primeiro, uma continha básica: 70% da dieta deve ser composta por alimentos alcalinos e apenas 30% por alimentos ácidos.

Vimos que a parte alcalina é muito bem representada pelas frutas, verduras e legumes. Alguns alimentos, como os folhosos verde-escuros, apresentam um pH mais alto. Então, aposte no espinafre, no brócolis, na alcachofra e na couve.

Opte, também, por carne branca e ovos. A carne vermelha, porém, deve ser consumida com mais parcimônia. Além disso, alguns alimentos são muito ácidos e devem ser evitados, como bebidas alcoólicas, açúcar e café.

Evite também refrigerantes e outros produtos industrializados ricos em sódio e em carboidratos simples. E, mesmo sendo vegetais, as barras de cereais – e outros cereais matinais – são alimentos industrializados e ultraprocessados, devendo ser evitados.

Ah, mais uma vantagem: a presença de fibras na dieta alcalina ajuda na prevenção do câncer colorretal, pois regulam o funcionamento do intestino impedindo que substâncias cancerígenas se mantenham em contato prolongado com a parede intestinal.

Viu só como não é difícil colocar a dieta alcalina em prática? A partir do ponto que não proíbe nenhum alimento e, ainda, não oferece nenhum risco para a saúde, ela se torna muito atrativa. Sendo assim, proporciona benefícios de maneira saudável, variada e, sem dúvida, bastante saborosa. Lembre-se: tudo é questão de equilíbrio. Então, siga sem exageros e priorizando aquilo que fará bem.

Gostou da dieta? Compartilhe nas suas redes sociais agora mesmo e ajude mais pessoas a conhecê-la!

Posts relacionados

Deixe um comentário