4 doenças do verão: veja como preveni-las!

4 minutos para ler

Em um país tropical como o Brasil, o verão é uma estação especialmente aguardada. O aumento da temperatura convida a população ao relax, o que frequentemente envolve algum descuido com a proteção da saúde. É preciso, porém, tomar alguns cuidados para evitar as doenças do verão!

Como as pessoas vão em busca de se refrescar, geralmente os locais ficam mais cheios. Além disso, nem todos tomam o cuidado de se proteger da exposição solar excessiva. Até os alimentos podem representar risco durante o verão.

Pensando nisso, listamos algumas condições que costumam estar mais associadas ao verão. Veja abaixo quais são elas e como se prevenir!

1. Insolação/desidratação

Com o aumento da temperatura ambiente, nosso organismo precisa trabalhar constantemente para se resfriar de maneira efetiva. Caso contrário, surge o risco de um desequilíbrio, a ponto de gerar problemas.

Algumas situações expõem mais ao risco do que outras, como permanecer e trabalhar em ambientes quentes e fechados, praticar exercícios físicos sem ventilação adequada ou sem proteção solar suficiente, entre outras.

O quadro da insolação inclui fraqueza, náuseas, vômitos, dor de cabeça e vermelhidão na pele. O melhor tipo de cuidado é prevenir a condição por meio de hidratação, uso adequado de protetor solar e permanência em ambientes frescos, aí se incluindo a sombra.

2. Micoses

As altas temperaturas e o clima mais úmido podem provocar problemas. As micoses são consequências de ambos os fatores. Isso porque os fungos, causadores das micoses, se reproduzem bem no ambiente quente e úmido.

Geralmente, os sinais da doença incluem manchas no corpo, principalmente em região de dobras como axilas, virilha e entre os dedos.

Caso uma micose seja diagnosticada, o tratamento poderá ser feito com antifúngico no local da lesão ou em uso sistêmico, mas não tente fazer isso sem orientação médica, pois há outras doenças da pele que podem confundir-se com micoses.

3. Intoxicação alimentar

Já as intoxicações alimentares podem ser causadas por diversos microrganismos. A infecção ocorre após ingestão de alimentos contaminados, risco aumentado pelo calor excessivo que facilita a proliferação dos germes.

Geralmente, o quadro é autolimitado, ou seja, costuma não ultrapassar 2 semanas. Os sintomas incluem diarreia, náuseas e vômitos, desconforto abdominal e, em casos mais graves, presença de sangue nas fezes.

Vale ressaltar que a principal conduta para o tratamento é hidratar-se bem e manter uma nutrição adequada. Isso vai evitar que o problema evolua para quadros mais graves. E é bom considerar que há doenças intestinais que por vezes são confundidas com intoxicação alimentar, especialmente na fase inicial.

4. Dengue

Já a dengue não tem relação direta com o calor, mas com as chuvas que se intensificam no verão e nas semanas que se seguem a ele. A doença é provocada por um vírus, mas é transmitida ao ser humano por meio de um vetor: o mosquito Aedes aegypti.

Como o ciclo de vida do mosquito envolve a necessidade de água, as chuvas intensas podem criar um ambiente favorável para a reprodução desse inseto. Então, a principal maneira de prevenir a dengue é não deixar água parada e utilizar repelentes!

Se você apresentar febre alta e de início abrupto, dor de cabeça, calafrios, dor atrás dos olhos e fraqueza, não deixe de procurar um médico: isso pode ser dengue, e deve-se confirmar ou afastar essa hipótese.

Por fim, vamos recapitular alguns cuidados para evitar as doenças de verão. Antes de tudo, evite a exposição excessiva ao sol! Para isso, utilize protetor solar e faça a reaplicação a cada 2 horas, além de optar por roupas frescas e acessórios, como boné e chapéu. Mantenha sempre uma garrafa de água por perto e cuidado com os alimentos ingeridos. Não há dúvida de que tomar sol é importante para não surgir deficiência de vitamina D, mas… nada de excesso! Não se esqueça de conferir se há algum foco de dengue em sua casa e de secar bem as regiões do corpo após o banho.

Compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude mais pessoas a se prevenirem!

Posts relacionados

Deixe um comentário