Exame de ácido úrico: como é feito e quais são as suas particularidades

5 minutos para ler

Antes de saber como é feito o exame de ácido úrico e suas particularidades, é importante entender sobre essa substância. Trata-se de um composto formado com a quebra de purinas, que são proteínas presentes em diversos alimentos. Ele pode ser encontrado no líquido extracelular, no plasma humano e na sinóvia, um líquido viscoso que preenche as cavidades articulares, protegendo as articulações.

O ácido úrico é um importante indicador sobre a saúde de diversos órgãos, já que essa substância pode estar relacionada com insuficiência renal ou a presença de cálculos (pedras nos rins). Os altos níveis também podem provocar crises de gota, uma doença metabólica que pode levar à deposição de cristais em articulações além de comprometer outras regiões do organismo.

Neste artigo, vamos esclarecer as dúvidas mais comuns sobre o exame de ácido úrico, explicando para que ele serve, quando é indicado, necessidade ou não de fazer jejum antes de se submeter a ele, como ele é feito e a interpretação dos seus resultados. Continue a leitura para saber mais!

Para que serve o exame?

O exame de ácido úrico serve para indicar o nível de concentração dessa substância no sangue. Quando ele se encontra em elevados níveis pode afetar as articulações e provocar uma doença conhecida como gota, que leva à inflamação e dor intensa.

Além disso, alguns estudos relacionam os altos níveis a diversas doenças cardiovasculares, aí se incluindo a síndrome metabólica. Já os baixos níveis indicam a hipouricemia, uma rara condição ligada a algumas disfunções hepáticas (do fígado) e renais, bem como à exposição a substâncias tóxicas.

Em geral, o exame de ácido úrico sanguíneo serve para:

  • acompanhar a saúde dos pacientes que estejam fazendo quimioterapia ou radioterapia, já que esses tratamentos destroem células cancerígenas que podem liberar as purinas elevando o ácido úrico no sangue;
  • avaliar os resultados de tratamentos com medicamentos que reduzem o ácido úrico no sangue;
  • considerar a formação de cálculos renais constituídos por ácido úrico;
  • diagnosticar doenças como a gota e a insuficiência renal, entre outras.

Quando esse exame é indicado e como ele é feito?

O exame de ácido úrico no sangue deve ser realizado pelo menos uma vez por ano e analisado por um médico. Dessa forma, é possível identificar possíveis doenças e evitar o seu agravamento.

Ele pode ser solicitado também quando há a suspeita de gota ou outras alterações no organismo. Para as gestantes, é indicado para investigar condições pontuais, como a toxemia gravídica, que pode ocorrer no último trimestre da gravidez e provocar retenção de líquidos e ameaça à vida da mãe e do bebê.

Não é obrigatório estar em jejum para o exame, mas a ingestão de remédios, como analgésicos, pode alterar o resultado do nível das purinas, substâncias das quais se origina o ácido úrico. Por esse motivo, é importante informar o uso de medicamentos ao médico e ao laboratório que irá realizar o exame.

O exame é feito por meio da análise laboratorial de uma amostra de sangue colhida em uma veia do braço. Já para investigar a presença de cálculos ou outras alterações renais, é necessária uma amostra de urina de 24 horas.

Como interpretar os resultados?

Em geral os resultados considerados normais variam entre 2 e 7 mg por decilitro de sangue, tendo os homens valores um pouco maiores que as mulheres. Na urina, os valores esperados situam-se em 250 e 750 mg por 24 horas em adultos, e por vezes os valores elevados são considerados para ajuste da dieta e uso de medicamentos.

Quando mencionada nos resultados de exames rotineiros da urina, a presença de cristais de ácido úrico em geral não é motivo para intervenção médica imediata, pois costumam refletir apenas a alimentação e o tempo decorrido até a análise.

No líquido sinovial (articular)

Cristais de ácido úrico podem ser vistos no líquido sinovial quando a pessoa se encontra em crise de gota, quando o material é examinado por microscopia de polarização. A presença de cristais assim detectados é uma informação de especial utilidade para o médico tomar decisões a respeito do tratamento, especialmente quando se trata de crise aguda de dor articular.

Como vimos, saber como é feito o exame de ácido úrico e suas particularidades é importante, mas, além disso, é fundamental escolher um laboratório de confiança e com boa reputação para realizá-lo. Nesse sentido, o PAT Análises Clínicas se apresenta com um grande diferencial, pois conta com rigorosos sistemas de controle de qualidade, equipamentos de última geração e equipe altamente qualificada. E o PAT dispõe de microscópio de luz polarizada, que permite a detecção de cristais de ácido úrico em amostras de líquido sinovial.

Estas informações foram úteis? Para saber mais sobre exames laboratoriais e o que é necessário para realizá-los, entre em contato conosco!

Posts relacionados

Deixe um comentário