Como funciona o exame para pesquisar diabetes gestacional?

4 minutos para ler

Por que os médicos pedem o exame de diabetes gestacional? Você já teve essa dúvida? A resposta é muito simples: o exame tem o objetivo de identificar a hiperglicemia, ou seja, o aumento do nível de açúcar no sangue da futura mamãe.

O motivo para essa preocupação é que, durante a gravidez, a mulher passa por diversas mudanças no corpo, tanto na anatomia quanto no metabolismo. Essas mudanças afetam diversos órgãos, e um deles é o pâncreas, responsável por fazer o controle glicêmico (controle do açúcar no sangue). 

O mais preocupante é que, nesse caso, a gestante não apresenta qualquer tipo de sintoma. Isso mesmo! A futura mamãe não sente desconforto relacionado aos níveis de insulina no sangue. 

Vamos entender como o exame funciona? Continue a leitura! 

Como é feito o exame de diabetes gestacional?

O exame de diabetes gestacional é um exame de rotina. Ele é feito quando a gestante está entre as semanas 24 e 28 da gravidez. A intenção é que o médico possa identificar ou descartar a possibilidade da doença. 

Além disso, é maior o risco de surgimento da doença em mulheres que estão com sobrepeso, além de idade materna mais avançada, e história prévia de diabetes gestacional, além de outras condições. O mau hábito alimentar pode ser considerado também um verdadeiro fator de risco.    

O exame, também chamado de TOTG (teste oral de tolerância à glicose), é feito da seguinte forma: 

  • a primeira coleta de sangue é feita com a futura mãe em jejum de 8 horas;
  • o laboratório, em seguida, dá à gestante 75g de glicose na forma de uma bebida adequada para a prova;
  • deve ser mantido o repouso até o fim do teste;
  • novas coletas de sangue são feitas, após 1 hora e 2 horas de espera;
  • finalizando o exame, a gestante pode se alimentar normalmente e aguardar os resultados.

O laboratório, nessas amostras de sangue, realiza medições para identificar os níveis de açúcar (glicose). Seguindo os parâmetros estabelecidos pela Sociedade Brasileira de Diabetes, os valores ideais são: 

  • em jejum, até 92mg/dL;
  • 1 hora após, até 180mg/dL;
  • 2 horas após, até 153mg/dL.

Se esses valores não estiverem de acordo com essa referência, o obstetra, além de acompanhar e evitar as possíveis complicações do diabetes, pode encaminhar a futura mamãe para um profissional nutricionista. Ele vai prescrever uma dieta adequada e acompanhar a sua reeducação alimentar.

Como prevenir o diabetes gestacional? 

Como dito antes, o diabetes gestacional ocorre devido às alterações hormonais do período. Se não tratado adequadamente, pode gerar consequências para a mãe, aumentando o risco de pré-eclâmpsia e desenvolvimento de Diabetes Mellitus tipo 2. Para o bebê, podem ocorrer problemas respiratórios, excesso de peso e hipoglicemia neonatal. 

Portanto, é importante ter em mente que, além do pré-natal, a adoção de hábitos saudáveis pode prevenir o problema, principalmente para as mães que se encontram no grupo de risco. Algumas mudanças podem fazer toda a diferença no futuro, como: 

  • comer mais alimentos ricos em fibras, como os legumes, frutas e grãos integrais;
  • perder o excesso de peso antes da gravidez;
  • praticar exercícios moderados antes e durante a gestação. 

Sendo assim, os níveis de açúcar no sangue merecem atenção antes e durante a gravidez. Esse controle permite que a mãe, se diagnosticada, receba o tratamento adequado e que as complicações sejam evitadas. 

Gostou do nosso post sobre exame de diabetes gestacional? Então, assine agora mesmo nossa newsletter e continue recebendo as nossas dicas de saúde.

Posts relacionados

Deixe um comentário