Fadiga excessiva: o que pode ser? Descubra aqui!

4 minutos para ler

Sabe aquela sensação de cansaço, falta de vontade de fazer algo ou até mesmo demora para levantar da cama? Esses podem ser indícios de fadiga excessiva, sintoma típico para diferentes tipos de doenças e condições. Um exemplo são as obrigações do dia a dia que podem levar a essa fadiga, o que torna difícil até executar as tarefas mais simples.

Antes de tudo, é preciso entender se esse cansaço é físico ou psicológico, para que seja direcionado o tratamento de maneira adequada para melhorar a disposição e, consequentemente, a qualidade de vida. 

Quer entender mais sobre o que pode ser a fadiga em excesso? Então, confira agora possíveis causas em que a fadiga surge como sintoma principal.

Fatores físicos

De acordo com especialistas, desde a falta de alimentação até fatores hormonais várias causas levam à fadiga excessiva. Entre os fatores físicos mais comuns, listamos os principais que têm o cansaço como ponto em comum.

Anemia

A anemia tem como a principal característica a diminuição da hemoglobina, que é a responsável pelo transporte de oxigênio e nutrientes pelo corpo. Com menos substâncias transitando pelo corpo, o coração acaba trabalhando mais, levando ao cansaço muscular.

Distúrbios da tireoide

Tanto o hipertireoidismo quanto o hipotireoidismo causam fadiga, mesmo que de maneiras diferentes. No hipertireoidismo o metabolismo é mais acelerado e o corpo, em consequência, acaba fazendo esforços desnecessários. Já no hipotireoidismo a pessoa acaba ficando mais lenta, poendo desenvolver desde alterações cardíacas até cerebrais, dificultando a realização de tarefas.

Sensibilidade ao glúten

A glutenina provoca uma irritação no intestino, diminuindo a absorção de outros nutrientes. Assim, o indivíduo acaba se sentindo sem vontade para realizar as atividades.

Diabetes

Esse distúrbio causa distúrbios no metabolismo, com a deficiência da insulina ou da resposta a esse hormônio. Com isso, a nutrição do organismo é feita de maneira inadequada.

Todos os fatores físicos citados, diagnosticados de maneira precoce, permitem controle e tendem a melhorar consideravelmente. Portanto, fique atento! 

Fatores psicológicos 

Os avanços imensuráveis do mundo moderno nos últimos anos trouxeram à tona, além de facilidades, problemas até então não muito comentados. Entre eles citamos os seguintes:

  • depressão — além do cansaço, essas pessoas também relatam a falta de disposição para realizar atividades cotidianas. Em resumo: não sentem sequer vontade de realizar coisas simples, como as refeições;
  • síndrome de Burnout — proveniente do esgotamento físico e mental, está diretamente ligada às atividades profissionais;
  • apneia — principal distúrbio do sono, reduz a passagem de ar pelas vias aéreas e, consequentemente, a oferta de oxigênio ao organismo devido à dificuldade respiratória. 

Esses foram apenas alguns exemplos de fatores que podem justificar a fadiga excessiva. O ideal é que você, ao perceber algum desses sintomas, procure um médico.

Existem muitos especialistas médicos que podem ser úteis para identificar as causas da fadiga como, por exemplo, clínico geral, cardiologista, pneumologista e psiquiatra (mas também outros).

É comum que não tenhamos tempo para observar detalhes como uma fadiga. Estamos vivendo a era do tempo corrido e da praticidade em tudo o que fazemos. Às vezes, identificar um pequeno detalhe como esse pode salvar a sua vida.

Gostou do nosso artigo sobre o que pode ser fadiga excessiva? Então, siga nossas redes sociais e continue a receber mais dicas de saúde e bem-estar. Estamos no Instagram, LinkedIn, Twitter e no Facebook.

Posts relacionados