Laboratório de análises clínicas: saiba mais sobre os exames

8 minutos para ler

As análises clínicas são uma atividade técnica que envolve avaliar materiais biológicos para coletar dados e ajudar nos diagnósticos em relação à saúde dos indivíduos. Essas análises em geral se iniciam a partir de um pedido do médico outro profissional versado na interpretação dos exames laboratoriais.

Segundo a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial  (SBPC/ML), cerca de 70% das decisões médicas se fundamentam em resultados obtidos por exames laboratoriais, já que eles fornecem informações objetivas e próximas à precisão, que podem ser utilizadas também para a prevenção, identificação de riscos e tratamentos personalizados.

Neste artigo, vamos comentar sobre os principais exames realizados pelos laboratórios, quais doenças eles conseguem detectar e a importância de fazê-los periodicamente. Continue lendo para saber mais!

Exames realizados em laboratório de análises clínicas

Os exames mais comuns são o de sangue — destacando-se o hemograma —, e os de urina e fezes. Há também outros materiais biológicos nos quais são feitos exames laboratoriais que analisam diversos tipos de alterações na saúde: secreções, cálculos urinários (pedras), líquidos cavitários (das articulações, do abdome, da pleura, do pericárdio), etc.

Além de ajudar no diagnóstico de diversos tipos de câncer e riscos de doenças cardiovasculares, os exames laboratoriais são importantes fontes de informações para detectar doenças crônicas. Veja, a seguir, os principais exames realizados e o que eles conseguem detectar.

Hemograma

O hemograma é um exame que objetiva verificar a quantidade de plaquetas, glóbulos brancos e vermelhos, conseguindo evidenciar anemias, leucemias, e muitas infecções.

Colesterol

Esse exame é feito para averiguar os valores de colesterol dos tipos LDL, VLDL e HDL. É importante observar que o LDL e VLDL são os considerados ruins — quando se acumulam nos vasos sanguíneos, podem obstruí-los e causar a aterosclerose, doença cardíaca que provoca estreitamento dos vasos sanguíneos. Quando esses dois últimos tipos de colesterol se mantêm em nível elevado, o indivíduo pode estar em risco de sofrer um infarto do miocárdio ou outros problemas causados por redução do fornecimento do sangue.

Já o HDL representa o colesterol bom que “varre” o colesterol ruim dos vasos sanguíneos. Quanto maior for o seu valor, mais protegido da aterosclerose o indivíduo estará; níveis elevados caracterizam a síndrome da longevidade, ou seja, pessoas que têm longa vida, ultrapassando a expectativa da população.

Albumina

Essa é a proteína mais importante do plasma humano, que se apresenta em maior quantidade no sangue, sendo sintetizada pelo fígado. O exame verifica o estado nutricional geral do paciente e auxilia no diagnóstico de doenças renais e hepáticas, como a cirrose.

Ácido úrico

O ácido úrico é uma substância originada pelo metabolismo de proteínas no organismo e transportada pelo sangue para ser eliminada pelos rins. Ele frequentemente se encontra elevado no sangue das pessoas acometidas de gota, e a continuidade de níveis altos pode associar-se à tendência a formar cálculos (pedras) nos rins.

Creatinina e ureia

Essas substâncias, que podem ter os níveis medidos no sangue, indicam o funcionamento dos rins, que têm como principal função filtrar o sangue, retirando dele o “lixo” produzido pelas células do organismo. Quando o valor dessas substâncias está alto, é possível que os rins não estejam funcionando satisfatoriamente.

Fezes

O exame parasitológico é utilizado para verificar a presença de parasitas e bactérias nas fezes, sangramento gastrointestinal e distúrbios hepáticos, entre outros.

Glicose

Também conhecido como teste de glicose, esse exame avalia a quantidade de açúcar no sangue (glicemia). É muito importante para o diagnóstico do diabetes e para o seu acompanhamento e controle. Também a hemoglobina glicada, outro exame para a avaliação do açúcar, pode ser útil, pois permite diagnosticar diabetes, e até mesmo a propensão para essa doença.

T4 livre e TSH

Esses exames analisam o funcionamento da tireoide, para verificar se há alterações como o hipertireoidismo (excesso de hormônios) ou hipotireoidismo (produção hormonal insuficiente) ou a presença de tumores na glândula.

Vitamina D

Atualmente, esse é um exame muito solicitado, principalmente para idosos, já que o avanço da idade altera a capacidade de absorção de vitaminas. Além disso, as mudanças no meio ambiente e a falta de tempo para as pessoas ficarem expostas ao sol geram deficiências da vitamina D.

Como são realizadas as análises clínicas

As análises são feitas por meio do estudo de materiais biológicos do paciente, como sangue, urina, fezes, saliva, líquido sinovial (articular), líquido cefalorraquidiano (líquor), pus, entre outros.

Dependendo do tipo de exame, a coleta pode ser realizada pelo próprio paciente em sua residência, no laboratório onde são feitas as análises, em consultórios médicos, hospitais, clínicas ou postos de coleta.

Os setores dos laboratórios

Nas análises das amostras de materiais biológicos, os laboratórios as consideram de acordo com áreas caracterizadas pelos métodos, pelos materiais e/ou objetivos:

  • bioquímica — avalia substâncias químicas referentes a processos metabólicos do organismo, como colesterol, glicose, triglicerídeos, funções hepática, renal e cardíaca, eletrólitos, entre outros;
  • endocrinologia — exames e testes hormonais, o que compreende a função tireoideana, crescimento, fertilidade, metabolismo, e outros aspectos do funcionamento do organismo;
  • hematologia — analisa condições referentes às células sanguíneas, coagulação, e medula óssea, principalmente;
  • imunologia — exames laboratoriais relacionados a antígenos e anticorpos, especialmente na capacidade de defesa do organismo e resposta contra as infecções, como rubéola, toxoplasmose e dengue, entre outras;
  • microbiologia — pesquisa, isolamento e caracterização de microrganismos por cultura de urina, fezes, pus, orofaringe e outros materiais para o diagnóstico de doenças infecciosas bacterianas;
  • parasitologia — pesquisa de protozoários e vermes, que podem ser identificados por meio do exame parasitológico das fezes, pesquisa no sangue, em feridas, e em outros materiais;
  • uroanálise — avaliação da urina pelo exame EAS (elementos anormais e sedimento) e outros que o complementam, como a pesquisa e caracterização de hemorragias detectadas na urina.

Profissionais que atuam no laboratório de análises clínicas

A coleta dos materiais é feita pelos componentes da equipe técnica. Os profissionais que realizam as análises são farmacêuticos, biomédicos, biólogos e médicos, com a participação de técnicos capacitados.

Margem de erros em exames

Até há alguns anos a margem de erros para os resultados era elevada, pois os laboratórios não contavam com equipamentos de alta tecnologia para as análises.

Atualmente, com os avanços tecnológicos e com as modernas técnicas de controle de qualidade, as análises são feitas com o auxílio de equipamentos que garantem resultados mais exatos e precisos, evitando erros, como o uso de unidades equivocadas e falhas na digitação. A isso se soma a melhoria do conhecimento científico, alavancada pela facilidade de comunicações e pela busca da excelência.

Entretanto, alguns erros podem ainda ocorrer devido a fatores externos, como falhas no jejum, ingestão de medicamentos, coleta em desacordo com as instruções, e até mesmo interpretação equivocada dos resultados.

Importância de realizar os exames clínicos regularmente

A recomendação médica é no sentido de que as pessoas passem anualmente por um check-up com exames complementares, inclusive análises laboratoriais. Os exames feitos periodicamente podem levar ao diagnóstico precoce de doenças, permitindo o tratamento antes que este se torne mais difícil. Um exame muito simples feito nas fezes pode permitir o tratamento do câncer colorretal antes mesmo que esta doença se manifeste, quando ainda está na fase de simples pólipo.

Ao adotar a consulta médica anual como rotina, é possível obter um diagnóstico de doença ou alguma alteração no organismo a tempo para se fazer um tratamento mais precoce, eficiente, e manter a qualidade de vida.

Como vimos, o laboratório de análises clinicas é responsável por diversos tipos de exames que ajudam na prevenção, diagnóstico, tratamento e acompanhamento de doenças. Nesse sentido, é fundamental fazê-los anualmente para tratar possíveis alterações na saúde, evitando que elas se agravem. Ponha uma visita anual ao médico na sua rotina de vida.

Estas informações foram úteis para esclarecer sobre as análises clínicas? Caso queira obter mais detalhes sobre algum exame, entre em contato conosco!

Posts relacionados