O que são os marcadores de hepatite B e o que significam?

5 minutos para ler

A Hepatite é o nome dado a várias doenças que afetam o fígado, podendo ser causadas por vírus, medicamentos, álcool, e até mesmo por autoimunidade. No caso da hepatite B, ela ocorre por conta da infecção por um vírus que gera a inflamação no órgão. Muitas vezes, ela não apresenta sinais logo que ocorre a infecção. Os sintomas (como febre, mal-estar, tontura, vômitos e dores abdominais) podem surgir até alguns meses depois que o vírus adentrou o organismo. E, muito importante: mesmo sem apresentar sintomas, o portador do vírus é um potencial transmissor.

Dessa forma, é importante detectar a doença antes ela progrida a ponto de causar lesões graves. Para descobrir se você possui o vírus da Hepatite B, é necessário realizar exames de sangue. Contudo, muitos pacientes ficam confusos quando recebem os resultados, não sabendo interpretar corretamente os dados que são apresentados, especialmente quando há dificuldades para conseguir o atendimento com o especialista. Por isso, elaboramos este texto explicando como entender corretamente os marcadores de hepatite B. Confira!

O que são marcadores de Hepatite B?

Marcadores das hepatites são substâncias detectadas no exame de sangue. A partir destes, é possível identificar o estágio e tipo de determinada doença, bem como acompanhar com precisão o andamento e eficácia do tratamento. Existem diversos marcadores, e a presença deles – anticorpos e antígenos, isoladamente ou combinados – tem significado.

Marcadores de Triagem da Infecção

Marcadores de triagem de infecção são utilizados para pesquisar evidências de infecção no indivíduo. Esse tipo de exame sorológico é exigido ainda quando o paciente apresenta suspeita da doença. Nesse sentido, os dois principais marcadores de triagem são:

  • HBsAg; um resultado positivo para o marcador HBsAg significa que o indivíduo está com o vírus da hepatite B circulando no sangue;
  • Anti-HBc Total: já no caso de resultado positivo para o marcador Anti-HBc, demonstra que o paciente teve contato com o vírus, seja em tempo recente ou no passado.

Marcadores de Acompanhamento de Infecção

Por outro aspecto, existem marcadores de hepatite B cujo objetivo é perceber o estágio em que a infecção se encontra. Eles são utilizados quando a doença já foi constatada no organismo. Os principais marcadores de acompanhamento de infecção são:

  • HBsAg: este marcador (que é uma proteína do envoltório do vírus) surge no sangue na infecção aguda, em geral entre 6 semanas e 6 meses após a exposição ao vírus.;
  • Anti-HBc Total: tratam-se dos anticorpos dirigidos à parte central do vírus (chamada core), podendo ser do tipo IgG e/ou do tipo IgM (conforme o caso, o médico poderá indicar a pesquisa seletiva de IgM, como é dito a seguir);
  • Anti-HBc IgM: este marcador – que corresponde aos anticorpos de classe IgM dirigidos ao core (parte central) do vírus – identifica casos em que se pode considerar a infecção como recente. Ele pode ser encontrado no sangue até cerca de 32 semanas após a infecção, mas também, em outros casos ele pode ser encontrado quando há a reagudização da infecção, na fase crônica;
  • HBeAg: permite identificar se o vírus no organismo está em fase de replicação viral, o que também possibilita supor uma alta capacidade de infecção de outras pessoas;
  • Anti-HBe: quando apresenta resultado positivo, esse marcado demonstra a fase posterior à replicação. Portanto, tende a surgir após o desaparecimento do HBeAg.
  • Anti-HBs: esse indicador é o único anticorpo que indica a imunidade contra o vírus da Hepatite B, permitindo supor a proteção contra a doença. Geralmente, ele está presente entre a primeira e a décima semana após o desaparecimento do HBsAg. O resultado positivo para esse marcador também indica imunidade ativa (resposta à vacina ou contato prévio com o vírus) em quem tem negatividade para Anti-HBc e HBsAg, ou imunidade passiva (quando é utilizado imunoglobulina anti-hepatite B ou transferência de anticorpos maternos na gestação).

Outros exames podem ser utilizados para avaliação mais aprofundada conforme o caso, como a amplificação por PCR, a biópsia do fígado, e outros.

A Hepatite B é uma doença séria, mas que possui tratamento. Por isso, quanto antes forem percebidos os sinais do vírus no organismo, mais fácil será tratar a doença. Assim, compreender os marcadores de hepatite B é fundamental para garantir a saúde e bem-estar, pois, a partir da leitura correta destes marcadores, será possível identificar se há infecção e, caso exista, qual seu estágio para tomar as medidas necessárias.

Quer saber mais sobre como identificar a hepatite e como tratá-la? Então, confira nosso artigo sobre os testes sorológicos para hepatite!

Posts relacionados

Deixe um comentário