Perigos do sedentarismo: 5 motivos para evitá-lo ao máximo

4 minutos para ler

Quem dera se o corre-corre diário fosse, de fato, uma atividade física, não é mesmo? Porém, passa longe disso. Rotinas de trabalho extensas, associadas a uma alimentação de baixa qualidade, acabam agravando os problemas do sedentarismo.

Pensando em curto prazo, esse estilo de vida parece não oferecer muitos problemas. Porém, sabe-se que uma população mais ativa evitaria até 5 milhões de mortes anuais. Um número tão expressivo mostra o impacto do sedentarismo em longo prazo.

Mas, afinal, quais seriam os impactos de estilo de vida para a saúde? Há uma série de riscos que você vai conhecer melhor abaixo!

1. Obesidade

A obesidade é uma doença crônica que tem atingido cada vez mais pessoas no mundo. Desde 1975, o número de obesos triplicou na população, sendo que cresceu cinco vezes nas crianças e adolescentes.

Isso é muito preocupante, pois associados à obesidade há diversos problemas graves de saúde. Quer um exemplo? Cerca de 85% dos obesos têm outras condições associadas, como:

  • pressão alta;
  • problemas articulares;
  • colesterol alto.

2. Colesterol alto

Falando em problemas associados, vamos começar com o colesterol. Basicamente, é uma importante gordura que há no corpo. Claro, não podemos esquecer que ela é importante para o organismo, pois é necessária à síntese de diversos hormônios, como o cortisol e os hormônios sexuais.

Porém, o excesso, em geral devido ao “mau colesterol” (LDL-colesterol tende a causar grandes problemas). Um deles é a aterosclerose, ou seja, formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos. O risco disso? A obstrução de vasos cardíacos e, consequentemente, um infarto agudo do miocárdio (ataque cardíaco).

3. Doenças cardíacas

Já sabemos que o sedentarismo predispõe à obesidade e aos problemas associados. O maior risco ao coração você descobriu agora: o infarto. Porém, não é só isso.

A hipertensão arterial também é outro problema que acomete cerca de 32,5% dos brasileiros e tem o sedentarismo como fator de risco. A pressão alta, quando não tratada, pode provocar problemas renais e até mesmo AVC (acidente vascular cerebral).

4. Fraqueza

A falta de atividades físicas também leva a problemas nos ossos, articulações e músculos. Diante disso, a fraqueza é o principal sintoma, considerando que a musculatura não está sendo trabalhada no esforço físico.

Isso pode prejudicar o dia a dia de diferentes maneiras. Tarefas simples, como subir escadas, podem se tornar mais cansativas que o habitual. Além disso, não são incomuns as queixas de dores articulares.

5. Prejuízo à saúde mental

Por último, é preciso ficar claro que o sedentarismo não causa prejuízos apenas físicos. Ele também impacta na saúde mental. As atividades físicas provocam em nosso organismo a liberação de endorfinas.

Esse neurotransmissor está associado a várias sensações agradáveis para o corpo. Entre elas, podemos citar o bem-estar, conforto, prazer e, claro, melhoria no humor.

Diante de tudo isso, você deve estar se perguntando: como fazer para sair do sedentarismo? Bem, essa tarefa pode não ser tão simples para todas as pessoas, afinal, é preciso haver um ajuste de rotina. Portanto, tente encaixar na sua agenda um espacinho para as atividades físicas.

Pode ser desde a prática de musculação em academias até um corrida diária rápida pelo parque. O importante é dar o primeiro passo e tornar isso um hábito para fugir dos perigos do sedentarismo!

Mas passe por uma avaliação médica antes de iniciar exercícios físicos. Prudência é essencial!

Agora, que tal entender melhor sobre o colesterol alto?

Posts relacionados

Deixe um comentário