Saiba quais são as doenças intestinais mais comuns e como evitá-las

5 minutos para ler

Muitas vezes os desconfortos e dores abdominais podem ser confundidos com situações mais simples, como um desequilíbrio da flora intestinal (ou seja, bactérias ali presentes), que provoca dor, náusea e diarreia. No entanto, os problemas intestinais mais comuns podem incluir distúrbios inflamatórios que precisam ser tratados para evitar que se agravem.

Embora sejam preocupantes, as doenças intestinais podem ser tratadas com eficácia, e algumas até prevenidas. Neste artigo vamos apresentar os principais problemas intestinais, seus sintomas, exames para o diagnóstico, tratamentos e o que fazer para evitá-los. Continue a leitura para saber mais!

Os problemas intestinais mais comuns

Há muitas condições que podem afetar os intestinos e provocar transtornos em diferentes intensidades, desde uma simples alteração passageira até doenças mais graves como tumores e câncer. Veja, a seguir, alguns dos problemas intestinais mais comuns que acometem as pessoas.

Doença de Crohn

A doença de Crohn é uma inflamação crônica do intestino, cuja causa ainda não foi caracterizada completamente. No entanto, há indícios de que ela pode estar associada a uma tendência genética e ao tabagismo. Essa alteração pode afetar qualquer região do aparelho digestivo (desde a boca até o ânus), sendo mais frequente a ocorrência no íleo (parte final do intestino delgado) e no cólon (intestino grosso).

Os sintomas podem variar entre os pacientes, e dependem da localização da doença, evolução e existência ou não de manifestações que envolvem outros órgãos. Os sinais e sintomas mais frequentes são:

  • perda contínua de massa muscular e emagrecimento;
  • febre;
  • fissuras perianais;
  • fístulas;
  • massas abdominais;
  • palidez.

Após se verificar a intensidade da inflamação, são indicados medicamentos que ampliam o poder de reação do organismo e diminuem os efeitos da doença. Para os casos que não respondem ao tratamento, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica. Por vezes pode ser necessária a administração de vitamina B12.

Colite ulcerativa

É uma doença inflamatória crônica em que o intestino grosso – cólon – se torna inflamado e com erosões (que podem até evoluir para perfurações) levando a episódios de diarreia sanguinolenta, dores abdominais e febre. O risco de surgimento de câncer é maior que nas demais pessoas em geral.

A causa da colite ulcerativa é desconhecida, e para se confirmar o diagnóstico é necessário o exame visual (colonoscopia). O sangramento intestinal pode levar à anemia, tornando necessária a reposição do ferro.

Constipação

A constipação (ou prisão de ventre) é provocada, principalmente, pela ingestão insuficiente de fibras, de água, ou de ambos. Isso leva a uma constante dificuldade para eliminar as fezes, provocando grande desconforto. O tratamento consiste em aumentar a ingestão de frutas, legumes, verduras e cereais integrais. Além disso, é essencial beber bastante água e praticar exercícios físicos.

Síndrome do intestino irritável

A Síndrome do Intestino Irritável ou “cólon irritável” ocorre quando o músculo da parede intestinal é mais sensível ao estresse e hábitos alimentares, provocando sintomas crônicos ou recorrentes como diarreia, dor abdominal, constipação e sensação de aumento de gás no tubo digestivo.

Essa síndrome não apresenta risco de complicações, e o tratamento envolve alterar o estilo de vida para combater o estresse, cuidados alimentares e, em alguns casos, medicamentos.

O diagnóstico das doenças intestinais

Para se obter um diagnóstico preciso é necessário que o paciente informe ao médico o que está sentindo, sem deixar de relatar os detalhes. Assim, muitas vezes, é preciso responder a perguntas sobre existência de sangue e muco nas fezes, ocorrências de dores abdominais e frequência com que tem ido ao banheiro, e até o formato e cor das fezes.

Após a identificação dos sintomas, pode ser preciso realizar exames que ajudam a identificar problemas intestinais. Alguns dos principais testes que o especialista pode solicitar são:

  • exame de sangue e de fezes;
  • colonoscopia com biópsia intestinal;
  • endoscopia digestiva alta;
  • ressonância magnética;
  • tomografia.

As medidas de prevenção

Para prevenir as doenças inflamatórias intestinais e suas complicações é importante manter uma alimentação equilibrada, com frutas, verduras e legumes. Além disso, é preciso observar os seguintes cuidados:

  • controlar a ingestão de condimentos, gordura e laticínios;
  • evitar o tabagismo;
  • fazer exercícios físicos regularmente;
  • não se automedicar;
  • seguir as prescrições médicas (não tomar medicamentos apenas nas crises e recaídas);
  • suplementar a dieta com as vitaminas A, E, K, as do complexo B e minerais, conforme orientação do médico.

Como vimos, os problemas intestinais mais comuns podem envolver inflamações que necessitam de tratamento. Por isso, qualquer desconforto intestinal persistente precisa ser analisado com base em exames laboratoriais, já que essas doenças podem se agravar e levar maiores problemas, inclusive câncer.

Gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre os principais problemas intestinais e como evitá-los.

Posts relacionados

Deixe um comentário