Saiba quais os tipos sanguíneos existentes e suas combinações

5 minutos para ler

Muitas pessoas já ouviram sobre os tipos sanguíneos. É comum encontrar sinalizações a esse respeito, principalmente em ambientes voltados à saúde. Contudo, nem todo mundo sabe ao certo o que significa essa classificação, nem quais são os diferentes tipos de sangue que existem.

Por isso, elaboramos este artigo. Nele você aprenderá o que são os tipos sanguíneos, quais as diferentes classificações possíveis e a importância de entender esse assunto. Ficou interessando? Então, acompanhe a leitura e tire suas dúvidas!

O que são tipos sanguíneos?

Antes de aprofundar o assunto para saber quais são os tipos sanguíneos, é importante compreender corretamente o que significa essa classificação. Para tanto, é necessário voltar ao ano 1900, quanto o médico Karl Landsteiner descobriu os fundamentos dos tipos sanguíneos. Na ocasião, ele analisou amostras de sangue e percebeu que, quando misturadas, havia formação de aglomerados de hemácias (glóbulos vermelhos do sangue), pois essas células se aglutinavam formando grumos visíveis.

Ao avançar suas pesquisas, foi possível concluir que as reações percebidas ocorriam por conta da incompatibilidade entre diferentes tipos sanguíneos. Essa classificação pode ser feita com base na análise dos seguintes elementos presentes no sangue:

  • proteínas presentes nas hemácias, podendo haver aglutinogênio A ou aglutinogênio B (atualmente chamam-se “antígeno A” e “antígeno B”);
  • presença ou ausência de aglutininas (anticorpos aglutinantes) no plasma, atualmente chamadas “anti-A” e “anti-B”..

Assim, analisando esses diferentes aspectos, foi possível desenvolver uma identificação precisa de diferentes tipos sanguíneos. Essa descoberta foi fundamental para o desenvolvimento da ciência e da saúde, uma vez que permitiu que transfusões sanguíneas fossem feitas de forma mais segura, evitando administração de sangue incompatível. Ficou então caracterizado o chamado Sistema ABO.

Quais são os 4 tipos sanguíneos?

Agora que você sabe como os tipos sanguíneos foram descobertos e qual sua importância, é possível analisar quais são eles:

  • sangue tipo A: é um dos tipos sanguíneos mais comuns (um terço da população do Brasil) e apresenta anticorpos contra o tipo B, também chamado de anti-B. Por esse aspecto, pessoas com sangue A não devem receber sangue B nem AB;
  • sangue tipo B: o tipo sanguíneo B é um dos mais raros e contém anticorpos contra o tipo A, o chamado anti-A. Dessa forma, pessoas que possuem sangue B não devem sangue de tipo A nem AB;
  • sangue AB: é o mais raro, cerca de 4 a 5% da população do Brasil, e não apresenta anticorpos contra A nem contra B.;
  • sangue O: o sangue de tipo O é o mais comum no Brasil (quase metade da população) e apresenta anticorpos que reagem com o antígeno A e com o antígeno B. Isso significa que em contato com qualquer outro tipo sanguíneo, o tipo O tem grande probabilidade de gerar reação de incompatibilidade.

Também é necessário considerar, além do sistema ABO, a classificação de acordo com o Fator Rh, o segundo sistema de grupos sanguíneos a ser descoberto, o que se deu em 1940. Nesse sentido, quem possui o fator Rh+ não apresenta reação com relação ao sangue Rh-. Contudo, quem tem o tipo sanguíneo Rh- pode desenvolver anticorpos contra o fator Rh+, o que pode causar problemas não apenas em transfusões de sangue, mas até mesmo durante a gravidez, quando a mãe tem sangue Rh- e o feto tem sangue Rh+. Durante o pré-natal o médico obstetra se mantém atento para essa ocorrência, a fim de tomar todos os cuidados não só em relação a essa gravidez, como às futuras.

É importante lembrar que, na medicina moderna, as transfusões de sangue são feitas com sangue do mesmo tipo (doador e receptor), por segurança. Isso ocorre porque a mistura entre diferentes tipos pode acarretar uma série de problemas, inclusive com risco grave reação. Por isso os antigos conceitos de doador universal e receptor universal perderam a importância.

Como saber seu tipo sanguíneo?

Como foi possível notar, identificar o tipo sanguíneo é fundamental nos hospitais e bancos de sangue para garantir a segurança e até mesmo para que seja possível colaborar com as pessoas que precisam de sangue. Para isso, basta realizar um exame de tipagem sanguínea em um laboratório de análises clínicas. É importante, nesse caso, procurar por uma instituição renomada e com experiência na área.

Neste artigo você compreendeu quais são os tipos sanguíneos, qual a importância de conhecer essa classificação e como descobrir o seu. Como você viu, essa identificação é fundamental para garantir sua saúde, sendo indispensável buscar um laboratório qualificado para que a análise seja feita de forma adequada.

Mas… que tal fazer uma doação de sangue? Você poderá, com isso, salvar diversas vidas, pois o sangue doado é fracionado em componentes (hemácias, plasma, plaquetas), os quais serão utilizados conforme a necessidade dos pacientes (anêmicos, cancerosos, leucêmicos, etc). Procure informar-se nos hospitais onde se situam os bancos de sangue, e convide seus amigos para doarem também!

Gostou deste conteúdo? Para saber mais sobre análises clínicas e como cuidar de sua saúde, curta nossa página no Facebook!

Posts relacionados

2 comentários em “Saiba quais os tipos sanguíneos existentes e suas combinações

    1. Olá, Joice. Há situações em que as características dos grupos sanguíneos nem sempre são expressadas nas células do sangue como se espera. Há interações de genes que fazem com que o tipo sanguíneo expressado não pareça corresponder ao determinado pelos genes indicadores dos grupos sanguíneos. Havendo dúvidas, consulte um médico geneticista, que poderá proceder aos exames de esclarecimento.

Deixe um comentário