Saúde da mulher: conheça 4 tipos de exames que você precisa fazer!

4 minutos para ler

Cuidar da saúde é mais do que ir ao médico quando necessário: cada vez mais compreendemos a importância dos exames de check-up periódicos. Com a saúde da mulher não é diferente.

O objetivo de fazer exames é detectar possíveis doenças precocemente, antes mesmo que elas deem sintomas. Com isso, é possível tratá-las mais cedo, o que aumenta a eficácia do tratamento e reduz as complicações das doenças.

Por isso, se você quer cuidar melhor da sua saúde, estar em dia com os exames é essencial. A seguir, separamos 4 deles, essenciais para a saúde da mulher. Vamos lá?

1. Mamografia

Atualmente, o câncer de mama é a principal neoplasia em mulheres, excetuando o câncer de pele. Estimamos que, anualmente, mais de 65.000 mulheres serão diagnosticadas com a doença — o que corresponde a cerca de um terço de todos os cânceres no Brasil.

Além de ser uma doença letal, o câncer de mama está relacionado a um impacto significativo na qualidade de vida; afinal, ele afeta uma parte sensível do corpo feminino, que pode precisar ser submetido a amplas cirurgias. Por esse motivo, o diagnóstico precoce é essencial para que o tratamento seja mais simples e eficaz.

Atualmente a mamografia está indicada para todas as mulheres com mais de 50 anos, a cada dois anos. É um exame simples e pouco invasivo, que consiste em uma radiografia das mamas, de alta precisão. O exame apresenta boa acurácia, e é usado tanto no Brasil quanto em outros países.

2. Papanicolaou

O câncer de colo de útero é outra neoplasia frequente em mulheres. Sua prevenção é feita pelo exame Papanicolaou (alusão ao nome do médico grego que o idealizou), rotineiro nas consultas com o ginecologista. O rastreamento começa cedo, sendo recomendado a partir dos 25 anos de idade. A frequência varia conforme os resultados anteriores, sendo em geral feito a cada três anos quando eles são negativos.

3. DST

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) devem ser uma preocupação frequente para todas as mulheres. Atualmente, acompanhamos um aumento crescente no diagnóstico de doenças como o HIV, a sífilis e as hepatites B e C. Embora essas doenças possam ter sérias complicações, elas podem ser assintomáticas em suas fases iniciais.

Grande parte dos exames feitos para DSTs é baseado na sorologia. Eles identificam os anticorpos contra agentes de determinadas doenças, que são produzidos após o contato com o microrganismo. Mesmo que você não tenha fator de risco, é importante conhecer sua situação em relação às DSTs: isso ajuda na prevenção e na proteção.

Aliás, testes para pesquisa de marcadores de sífilis, HIV e hepatites devem ser oportunizados nas consultas médicas, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.

4. Densitometria óssea

A densitometria é o exame de escolha para o diagnóstico da osteoporose, uma condição que leva à desmineralização dos ossos. A osteoporose é especialmente importante em mulheres após a menopausa: os hormônios femininos protegem os ossos, e sua diminuição os deixa predispostos à osteoporose.

Formalmente, a densitometria é recomendada para todas as mulheres com mais de 65 anos de idade; no entanto, ela deve ser solicitada antes disso, caso a mulher já tenha passado pela menopausa e o médico ache conveniente sua realização. Vale a pena conferir com seu médico se o exame está indicado para você.

Cuidar da saúde da mulher exige esforço constante, principalmente para se manter em dia com os exames. Destacamos os 4 principais, mas outros exames podem ser indicados conforme sua situação clínica. Em caso de dúvida, procure seu médico de confiança.

Gostou do conteúdo? Então compartilhe com os amigos em suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um comentário