Testes sorológicos para hepatites: qual a importância de identificá-las precocemente?

5 minutos para ler

Você já ouviu falar sobre hepatite? Esta condição nada mais é do que a inflamação do fígado. Ela é causada, principalmente, por vírus, sendo os tipos A, B e C os mais comuns. Os testes para pesquisar os vírus das hepatites permitem identificar a condição e estabelecer o tratamento adequado, quando for necessário.

Embora alguns casos sejam agudos, como a hepatite causada pelo vírus A, outros podem se cronificar e causar complicações após anos da infecção. O que muitos não sabem é que a identificação do tipo de vírus envolvido permite muitas vezes o tratamento e evita a progressão para quadros graves.

No caso da hepatite C, por exemplo, 95% das pessoas atingem a cura entre 3 e 6 meses de tratamento. Viu como os testes são importantes? Continue a leitura e entenda melhor!

Saiba quais são os tipos de hepatite

Como vimos, existem 3 principais tipos de hepatites causadas por vírus. A transmissão da hepatite A ocorre por água e alimentos contaminados. A vantagem dela é que não cronifica, ou seja, faz um quadro agudo e logo a doença regride; muitas vezes esse quadro é assintomático, ou com escassos sintomas, levando à conclusão de tratar-se de simples virose como muitas outras.

Já as hepatites B e C são transmitidas caracteristicamente por via parenteral. Nesse caso, a transmissão ocorre por agulhas contaminadas, acidentes com materiais perfurocortantes e, até o ano de 1993, as transfusões sanguíneas eram um risco para a hepatite C. Há também transmissão por relações íntimas, o que é mais comum com o vírus da hepatite B, ainda que também ocorra com o da hepatite C. Há também a transmissão chamada “vertical”, em que os vírus B e C podem ser transmitidos da mãe para os bebês, na maior parte das vezes por ocasião do parto.

Em ambos os tipos – B e C – há a possibilidade de cronificação, ou seja, a infecção permanecer por mais de 6 meses, sendo que as manifestações clínicas da doença, podem levar até décadas para surgirem, após a infecção inicial (e, durante esse tempo, a doença pode ser transmitida a outras pessoas). Na hepatite B essa chance é variável, e as crianças são mais suscetíveis à cronificação. Mas no caso da hepatite C, a maioria dos casos evolui para uma forma crônica.

Entenda a importância da identificação

Tendo em vista que muitos quadros podem ser persistentes, os danos que o vírus causa no fígado também são progressivos ao longo do tempo. Aos poucos, vai ocorrendo a fibrose do órgão, a ponto de até modificar a estrutura hepática.

O processo de fibrose é o que caracteriza a cirrose, quando já há grande comprometimento do fígado. Mas as complicações não param por aí! Há maior risco para os pacientes com hepatite crônica desenvolverem câncer no fígado.

Portanto, a testagem sorológica para hepatites pode salvar vidas. A partir do momento em que se detecta a infecção, é iniciado o tratamento e, frequentemente, evolui para cura ou remissão da doença.

Veja como é feita a testagem para hepatites virais

Os testes vão variar de acordo com o tipo da hepatite. Veja!

Hepatite A

Como é um quadro agudo e muitas vezes sem sintomas, é comum que as pessoas a tenham tido em algum momento da vida e não saibam disso. O teste utilizado para confirmação é a sorologia para pesquisar anticorpos anti-HAV, ou seja, busca detectar se há no organismo anticorpos IgG e IgM contra o vírus A, produzidos em resposta à infecção.

Hepatite B

Nesse caso, os testes são variáveis, e os mais importantes são esses:

  • HBsAg — busca identificar um elemento que compõe o vírus. Se presente, a infecção está ativa;
  • Anti-HBs — identifica anticorpos contra proteínas da superfície do vírus B, ou seja, o organismo combateu ou está combatendo a infecção (é o anticorpo protetor, também produzido em resposta à vacinação;
  • Anti-HBc — anticorpos contra um componente central do vírus; há 2 subtipos, IgM e IgG, que indicam infecção recente ou prévia, respectivamente.

Hepatite C

O rastreamento é feito pelo anti-HCV, ou seja, busca por anticorpos contra o vírus da hepatite C. Se presentes, é indicada a confirmação por meio de biologia molecular — um teste mais específico e que pode informar a quantidade de vírus (carga viral) existente.

Em suma, a testagem para hepatites é feita por métodos simples, eficazes e essenciais para a saúde pública. Muitas pessoas podem ter o vírus – B e C, especialmente – e nem sequer o saberem, de modo que os danos hepáticos vão ocorrendo progressivamente sem que haja qualquer suspeita. Então, o rastreamento da doença já direciona para o diagnóstico e tratamento, diminuindo cada vez mais o número de infecções ativas e, consequentemente, de novas transmissões.

Não perca mais tempo! Entre em contato conosco e venha realizar seu teste de marcadores sorológicos de hepatite!

Posts relacionados

Um comentário em “Testes sorológicos para hepatites: qual a importância de identificá-las precocemente?

Deixe um comentário