Conheça os tipos de anemia existentes e suas diferenças

6 minutos para ler

A anemia é uma situação em que no organismo há diminuição da hemoglobina, um tipo de proteína característica do sangue. Ela tem variadas causas, desde a má alimentação até uma alteração genética, sendo classificada de acordo com o tipo de anemia.

Tendo isso em vista, trouxemos um texto que explica sobre os principais tipos de anemia existentes e suas diferenças. Para ter acesso, é só continuar a leitura a seguir.

Quais as principais anemias e suas diferenças?

As anemias são estados do organismo que em geral apresentam alguns sintomas clássicos (mas não obrigatoriamente todos), como:

  • perda de peso;
  • falta de ar na prática de exercícios;
  • tontura;
  • fraqueza;
  • irritabilidade;
  • dores de cabeça;
  • unhas e cabelos frágeis;
  • perda de apetite;
  • perversão do apetite (vontade irresistível de mastigar ou comer coisas estranhas, como arroz cru, terra etc.).

Contudo, há casos em que elas cursam com outros sinais e sintomas.

Uma das formas de classificar as anemias é dividi-las em três tipos conforme características laboratoriais das células vermelhas do sangue, as hemácias: macrocítica, normocítica e microcítica. Além disso, dentro dessas classificações há diferentes tipos conforme a causa, por exemplo, a anemia ferropriva (nutricional) e as talassemias (genéticas) fazem parte do grupo das anemias microcíticas.

Quais são as divisões da anemia?

Para entender sobre as diferentes classificações e seus respectivos sintomas, confira a seguir as divisões da anemia.

1. Anemias Macrocíticas

São anemias em que os glóbulos vermelhos do sangue apresentam um tamanho maior do que o esperado. O principal parâmetro do hemograma que realiza essa classificação é o Volume Globular Médio (VGM), que nesses casos ultrapassa 100 fL. Os principais tipos de anemia macrocíticas são os seguintes.

Megaloblástica por deficiência de vitamina B12

Causada por deficiência de vitamina B12, é caracterizada pelo tamanho aumentado dos glóbulos vermelhos. Além disso, há diminuição dos glóbulos brancos, células de defesa do organismo, e das plaquetas, células responsáveis pelo controle de hemorragias. Também é comum na falta de vitamina B12 haver outros sintomas, como diarreia, dormência nas pernas, feridas na boca (aftas), cansaço, memória ruim. Pode surgir em pessoas que passaram por remoção do estômago (ainda que parcial, como em cirurgia bariátrica), e também em quem não ingere vitamina B12, principalmente vegetarianos; alguns medicamentos de uso comum, como o omeprazol e a metformina, podem causar redução da vitamina B12 no organismo..

Perniciosa

É um tipo de anemia megaloblástica associada à não absorção de vitamina B12. Ou seja, a pessoa ingere a vitamina, mas o corpo não consegue utilizá-la, resultando em graves danos neurológicos quando não tratada. Não há falta de ingestão, mas o estômago, afetado por autoanticorpos, não produz corretamente o suco gástrico, necessário ao aproveitamento da vitamina. Cursa com os sintomas descritos no item anterior.

Megaloblástica por deficiência de ácido fólico

Neste caso há deficiência da vitamina B9, o ácido fólico, presente em vegetais. Pessoas não os utiliza suficientemente na alimentação podem ter esse tipo de anemia. Fatores predisponentes a isso são o crescimento (infância e adolescência) e gravidez, bem como certos tratamentos médicos que interferem nessa vitamina, e também o alcoolismo..

2. Anemias Microcíticas

São as anemias que cursam com as hemácias em tamanho menor que o normal, apresentando redução do VGM e do conteúdo de hemoglobina nas hemácias (que se avalia pelos índices CHGM e HGM: Concentração da Hemoglobina Globular Média e Hemoglobina Globular Média, respectivamente).

Ferropriva

É o tipo mais comum de anemia, sendo útil o exame ferritina para confirmação do diagnóstico. Ela é causada pela baixa ingestão de alimentos com ferro, principalmente carne vermelha, ou após hemorragias, em que com a perda de sangue há também perda do ferro. Seus sintomas são mais associados aos típicos de anemias.

Talassemia

A talassemia é causada por alterações genéticas que resultam em defeitos nos processos de síntese da hemoglobina. Ela pode ser classificada de acordo com a cadeia da hemoglobina que foi afetada – alfa ou beta –, podendo ser menos ou mais grave.

Alguns sintomas associados que podem aparecer são: atraso de crescimento e enfraquecimento do sistema imunológico.

3. Anemias Normocíticas

São aquelas em que não há alteração no volume das hemácias, porém os pacientes apresentam sintomas devido à baixa hemoglobina.

Anemia hemolítica autoimune

É causada pela destruição das células vermelhas sanguíneas por anticorpos produzidos pela própria pessoa. Ela costuma cursar com cor amarelada na região branca dos olhos (icterícia).

Anemia falciforme

É uma anemia de origem genética em que as hemácias apresentam sua morfologia alterada, em forma de foice (sickle, em inglês, palavra da qual derivou o nome “hemoglobina S” que caracteriza esse distúrbio). Os principais sintomas da anemia falciforme são crises de dor, aumento do baço (em crianças), e úlceras na perna, entre outros.

Anemia por doenças crônicas

Muitas doenças crônicas podem ter a anemia como uma das manifestações: tuberculose, HIV, artrite reumatoide, cânceres, doença de Crohn, sarcoidose, e outras.

Mais

Hipotireoidismo, infecção urinária, insuficiência renal e doença hepática crônica são outras condições que cursam com anemia normocítica.

É válido ressaltar que é necessária a busca pelo tratamento para a causa da anemia, pois ela, quando não tratada, pode causar sérios problemas para o organismo. Outrossim, é imprescindível a orientação médica, tanto para diagnóstico quanto para tratamento, o que é de grande importância em caso de anemia confirmada.

Fica claro que há diferentes tipos de anemia e alterações que as pessoas podem sofrer quando o assunto é sistema circulatório. Além disso, a depender do tipo de anemia, além dos sintomas clássicos, ainda podem surgir sintomas específicos de acordo com a origem da doença.

Quer saber mais sobre este e outros assuntos? Siga nossas redes sociais e acompanhe todos os nossos posts! Estamos no Facebook e LinkedIn.

Posts relacionados

Deixe um comentário